Visão.Arte

sua arte em foto, por Lathife Porto

    Moda e Beleza Entretenimento Arte e Cultura Entrevistas Passeios Fotos Retrospectiva

Festival do Rio 2013: segunda-feira, dia 30 de setembro

30.
Setembro.
2013.

Semana começando com o Festival do Rio a todo vapor.

E apesar de ser segunda-feira, as salas de cinema estavam bem cheias.

Vamos aos filmes do dia?!

Chegará o Dia {Un Giorno Devi Andare - ficção - Itália / França, 2012. Diretor: Giorgio Diritti}
Sinopse: Enfrentando uma crise pessoal, Augusta, uma jovem italiana, viaja para longe de casa em busca de um significado para sua vida. Fiel à sua formação católica, decide acompanhar uma freira que ministra em aldeias indígenas brasileiras ao longo do rio Amazonas. Aos poucos, desiludida com a natureza hierárquica do trabalho, Augusta opta por ficar no porto da cidade de Manaus, onde se junta a uma a família de uma favela da região. Ao enfrentar uma tragédia, ela embarca em uma jornada ousada de autoconhecimento, em isolamento absoluto, na qual pode finalmente se encontrar. Sundance 2013.



Breve Resenha: Tá querendo tirar um cochilo em uma sala escura e com ar-condicionado? Vá ao cinema assistir Chegará o Dia! O filme é lentooooo, sonolento... Se bem que vale a pena ficar acordado para se fazer a pergunta: o governo brasileiro vai deixar esse longa entrar em circuito nacional? Boa parte da história se passa na periferia de Manaus, mostrando pobreza, falta de planejamento de moradia, péssimas condições de saúde pública, além de críticas diretas a projetos da nossa República. Um desses filmes de auto-descoberta da personagem que leva o público à descoberta do poder do escurinho do cinema {para dormir}.

Curiosidade: Chegará o Dia é protagonizado por Jasmine Trinca, a mesma estrela de Mel {que vimos e contamos ontem}. A atriz veio ao Festival do Rio apresentar seus trabalhos.



Spring Breakers: Garotas Perigosas{Spring Breakers - ficção - Estados Unidos, 2012. Diretor: Harmony Korine}
Sinopse: Brit, Candy, Cotty e Faith são amigas desde a escola e vivem no mesmo dormitório de uma faculdade. Quando chega o spring break - recesso escolar em que estudantes costumam viajar para praia e festejar por dias a fio - as amigas não têm dinheiro para se divertir. Elas decidem então assaltar um restaurante para conseguir o dinheiro da viagem para a Flórida. Chegando lá, elas são presas com drogas durante uma das festas e têm sua fiança paga pelo rapper Alien, um traficante local. Do diretor de Mister Lonely e roteirista de Kids e Ken Park. Competição oficial do Festival de Veneza 2012.



Breve Resenha: O elenco de estrelas pops {James Franco, Vanessa Hudgens, Selena Gomez, Ashley Benson e Rachel Korine} pode atrair, mas acredite no que eu digo: se você tiver qualquer oportunidade de assistir outra coisa, fuja deste filme! Sim, é popular. Sim, há um risco enorme de virar sucesso. Não, não deveria. No máximo ir direto para DVD, para ser alugado apenas pelos fãs dos astros já citados. Tudo no filme é ruim: roteiro, atuações, figurinos... Nem a direção salva. James Franco consegue a proeza de ser mais canastrão a cada um de seus longas, e nesse ele tem o personagem perfeito pra exagerar na dose. Ah! Na trilha sonora, Britney Spears. Tá bom pra você?!

May e o Verão{May in the Summer - ficção - Jordânia / Qatar / Estados Unidos, 2013. Diretora: Cherien Dabis}
Sinopse: May, uma americana descendente de jordanos, é autora de um livro de sucesso e vive uma rotina refinada em Nova York. Em meio aos preparativos para seu casamento, a jovem parte para aproveitar um verão em família na Jordânia. Ao se deparar com a resistência de seus familiares em aceitar sua união e vivenciar o processo de divórcio de seus pais, May irá rever sua própria vida. Ao se apropriar do humor e de uma profunda afeição por seus personagens, a diretora, autora e protagonista Cherien Dabis conduz com leveza uma narrativa de forte senso de identidade cultural. Sundance 2013.



Breve Resenha: Que delícia de filme! Tem um toque de comédia romântica hollywoodiana, sem perder algumas reflexões sobre a situação árabe-palestina e o conflito de religiões, chegando a falar de homossexualidade - mas tudo isso sem didatismo, e sim de forma leve, fluida, gostosa. May e o Verão é uma das maiores graças deste Festival do Rio, com uma história boa, interpretada {e dirigida} pela bela e competente Cherien Dabis, que traz leveza total ao seu longa {ela também produz}. O elenco foi bem escalado, formando um conjunto da obra harmônico. Você vai sair da sala de cinema querendo curtir sua família, e um pouco mais flexível às mudanças da vida. Compre já seu ingresso!

E amanhã tem mais Festival do Rio, com você conferindo tudo aqui, na VISÃO.ARTE!
Continue com a gente nas redes sociais {segue aí!}, e monte sua programação através do site www.festivaldorio.com.br.

É a VISÃO.ARTE no Festival do Rio 2013.


Até a próxima,

Festival do Rio 2013: domingo, dia 29 de setembro

29.
Setembro.
2013.

Domingão frio e de Festival do Rio, dia de todo mundo correr pras salas de cinema!

É claro que essa foi a nossa aposta pra curtir o fim-de-semana.

Vamos aos filmes do dia?!

Mel {Miele - ficção - Itália / França, 2013. Diretora: Valeria Golino}
Sinopse: Irene vive só na zona costeira logo além de Roma. Para seu pai e para seu amante, ela é uma estudante – mas, na verdade, faz constantes viagens ao México, de onde traz drogas de contrabando. Seu trabalho clandestino tem como objetivo ajudar doentes em estágios terminais a morrer com dignidade. Um dia, porém, ela fornece uma dose fatal a um novo cliente e descobre em seguida que ele é um suicida em potencial gozando de perfeitas condições de saúde. Para não deixá-lo morrer, ela entra em uma intensa relação. Estreia na direção de longas da atriz Valeria Golino. Cannes 2013.



Breve Resenha: Pode ser um filme sobre o direito à eutanásia. Também pode ser um filme sobre a independência feminina. Alguns dirão que se trata da defesa do direito ao suicídio. E outros dirão que é um filme com uma história bem interessante, momentos tocantes, alguns personagens bem construídos {o engenheiro que quer se matar é ótimo!}, mas um tanto longo. É tudo muito explicadinho, didático até. Algumas das cenas poderiam ser apenas sugeridas, deixando correr na imaginação do espectador. A atriz principal é linda e talentosa, mas o erro de escalação fica por conta de seus dois amantes {muito parecidos - o público desacostumado aos atores fica perdido}. Um filme bom.

A Imagem Que Falta{L'Image Manquante - documentário - Camboja / França, 2013. Diretor: Rithy Panh}
Sinopse:Realizado a partir do livro L’Emination, de Christophe Bataille, a nova obra do cambojano Rithy Panh evoca em primeira pessoa um episódio recorrente em sua obra: o genocídio khmer, que dizimou sua família e transtornou sua infância. Após anos de buscas por imagens ou fotos que exprimissem a dor e o sofrimento do período, o diretor resolveu criar suas próprias, na composição de um filme que, segundo a definição do próprio, “não é a imagem final, nem a busca de uma única imagem, mas a imagem objetiva de uma busca: a busca que o cinema permite”. Prêmio Um Certo Olhar de Cannes 2013.



Breve Resenha: O diretor Rithy Panh nasceu no Camboja, em 1964, sob o regime do Khmer vermelho. Fugindo do campo de trabalho ao qual foi enviado, chegou em 1980 a Paris, e a partir de então fez diversos documentários premiados sobre a situação de seu país. Esse tem uma ideia particularmente criativa - misturar imagens reais a bonequinhos, concretizando assim as lembranças de Rithy. A história é séria, e deixa a plateia com espírito grave - impossível não se comover diante das barbaridades e dos sofrimentos relatados por alguém que viveu aquilo tudo. No entanto, a narração no mesmo tom de vez pode causar sono, e a falta de familiaridade do público geral com a história relatada aumenta esses momentos de "devaneios" durante a exibição. No entanto vale como protesto e uma homenagem a um país, um povo, e uma família.

Bastardos {Les Salauds - ficção - França, 2013. Diretora: Claire Denis}
Sinopse: Marco é capitão de um navio. Ele é chamado de volta a Paris com urgência, pois sua irmã, Sandra, está em um momento de desespero: o marido dela se suicidou, o negócio da família faliu e a filha dela desapareceu. Sandra acusa o poderoso executivo Edouard Laporte de ser o responsável por todos esses acontecimentos. Para ajudar a irmã, Marco se aproxima da misteriosa Raphaëlle, amante do empresário. Porém, durante a investigação do caso, Marco descobre que sua irmã também escondeu algumas de suas artimanhas. Selecionado para a mostra Um Certo Olhar do Festival de Cannes 2013.



Breve Resenha: Assistimos à sessão em que estava a diretora Claire Denis {não confundir com a atriz Claire Danes}, que logo avisou: quando é chamada para debater sobre seu filme, recusa, porque tem certeza que ao final da exibição as pessoas não estarão dispostas a falar a respeito. Isso porque, segundo a própria, trata-se de uma obra forte.
E é!

Protagonizado pelo belo Vincent Lindon, está nele boa parte da força do filme: Vincent é um ator de expressões comedidas, mas fortes, e tem uma imagem de sensualidade máscula sem cair na vulgaridade. Na mesma linha está Chiara Mastroianni, que interpreta a mulher seduzida. Juntos, eles imprimem à Bastardos mistério, força, e química sexual.

Mas o filme traz uma história obscura, que começa com um suicídio e termina em uma das cenas mais fortes que já vi no cinema {e considerem que vou muitoooooooo ao cinema}. A aparente trama de prestação de contas vai se apresentando com facetas de crueldade, muitas mentiras, e principalmente a deturpação total da instituição familiar. Dinheiro, sexo, ganância, e um herói que pensa estar fazendo justiça.

Como a diretora bem advertiu, no final você não vai querer debater sobre Bastardos, mas fatalmente estará pensando nele.


E amanhã tem mais Festival do Rio, com você conferindo tudo aqui, na VISÃO.ARTE!
Continue com a gente nas redes sociais {segue aí!}, e monte sua programação através do site www.festivaldorio.com.br.

É a VISÃO.ARTE no Festival do Rio 2013.


Até a próxima,

Festival do Rio 2013: sábado, dia 28 de setembro

28.
Setembro.
2013.

Sábado de Festival do Rio, cinemas lotados por toda a Cidade Maravilhosa.

E nossa programação foi mais leve, por um motivo justo - de manhã rolou evento da Dermage, que contaremos tudinho na semana que vem.

Vamos aos filmes do dia?!

A Garota de Lugar Nenhum {La Fille de Nulle Part - ficção - França, 2012. Diretor: Jean-Claude Brisseau}
Sinopse: A rotina solitária de Michel muda radicalmente quando Dora, uma jovem à deriva de 26 anos, chega para viver em seu apartamento. Mesmo incipiente, a relação traz frescor à vida do professor de matemática aposentado, que revisita sensações há tempos esquecidas. Enquanto isso, seu lar gradualmente se torna cenário de misteriosos acontecimentos. Dirigido e protagonizado por Jean-Claude Brisseau, o filme segue o caráter de narrativas íntimas e corajosas do cineasta, que optou por rodar o longa-metragem em sua própria casa. Vencedor do Leopardo de Ouro no Festival de Locarno 2012.



Breve Resenha: Tipicamente francês, esse filme tem um quê delicioso da Paris escondida dos turistas, o que familiariza o espectador com a cidade real. A história da jovem sem rumo que cruza o caminho do senhor solitário é bonita e bem contada, mas a conotação sobrenatural leva o enredo para um caminho perigoso: depois da sessão muitos pareceram gostar muito, e outros - como eu - preferiram a história geral e ficaram meio perdidos com esse rumo "do além".
Um bom filme.

Michael Haneke - Profissão: Diretor {Michael H - Profession: Director - documentário - França / Áustria, 2013. Diretor: Yves Montmayeu}
Sinopse:A começar por seu mais recente sucesso, Amor, o filme traça um panorama completo da carreira do cineasta austríaco Michael Haneke, de seus primeiros trabalhos conceituais a obras polêmicas como as duas versões de Violência gratuita e Caché. Pretende-se fazer uma análise e apreciação do conjunto de sua obra. O diretor Yves Montmayeur, seu amigo de longa data, elabora montagens de cenas, revela bastidores de filmagem e entrevista os atores. Busca assim dimensionar a intensidade criativa e moral do cineasta e responder a perguntas do tipo “como o Mal se aninha numa sociedade civilizada?”.



Breve Resenha: Está aí um ótimo documentário para os amantes de cinema. Você pode não ser grande conhecedor da carreira de Haneke, mas sem dúvida foi arrebatado pelo maravilhoso Amor, vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro de 2013. E possivelmente também assistiu - gostando ou não - o polêmico A Fita Branca, indicado ao Oscar na mesma categoria em 2010. Com cenas dos filmes e de bastidores das filmagens, depoimentos de atores, e entrevistas consistentes com o homenageado, o diretor Yves Montmayeur produz uma obra que vale muito a pena ser conferida. Uma cronologia de uma carreira, e também da forma de se enxergar uma sociedade. Muito bom.

Salvo {Salvo - ficção - Itália / França, 2013. Diretores: Antonio Piazza e Fabio Grassadonia}
Sinopse: Assassino profissional da máfia siciliana, Salvo é um homem solitário, frio e implacável. Ele invade uma casa para executar um assassinato encomendado. É quando conhece Rita, uma menina cega que presencia impotente o assassinato de seu irmão. Salvo tenta fechar seus olhos perturbadores que, fixos nele, não conseguem vê-lo. Mas algo impossível acontece: Rita vê pela primeira vez. Salvo decide então deixá-la viver. Agora, assombrados pelos mundos a que pertencem, eles estão ligados para sempre. Grande prêmio e troféu revelação na Semana da Crítica do Festival de Cannes 2013.



Breve Resenha: Aclamadíssimo no Festival de Cannes, o filme chega ao Rio de Janeiro acompanhado dos diretores - que estavam na sessão que assisti. Simpáticos e surpresos com a revolução em suas vidas pós o sucesso na França, Antonio Piazza e Fabio Grassadonia disseram ter decidido contar uma história de redenção e luta pela liberdade.
E que linda história eles contam! Salvo e Rita são aprisionados, cada um a seu modo {ele na solidão da Máfia, ela na solidão da cegueira}, e é no extremo da violência que percebem o quanto estão perdidos - e precisam um do outro. Um filme de poucas palavras, expressões rudes, cores neutras. A frieza da Máfia italiana moderna, a crueldade da doença, o poder de um sentimento eterno.
Assista!!!

E amanhã tem mais Festival do Rio, com você conferindo tudo aqui, na VISÃO.ARTE!
Continue com a gente nas redes sociais {segue aí!}, e monte sua programação através do site www.festivaldorio.com.br.

É a VISÃO.ARTE no Festival do Rio 2013.


Até a próxima,

Festival do Rio 2013: sexta-feira, dia 27 de setembro

27.
Setembro.
2013.

Semana começando com o Festival do Rio a todo vapor.

E apesar de ser segunda-feira, as salas de cinema estavam bem cheias.

Vamos aos filmes do dia?!

Night Moves {Night Moves - ficção - Estados Unidos, 2013. Diretora: Kelly Reichardt}
Sinopse:Josh, Dena e Harmon são ativistas clandestinos que, apesar de não partilharem das mesmas dores e segredos, têm um plano em comum: explodir uma represa. O ato eco-terrorista deve ser executado em conjunto para depois cada um seguir seu caminho. Mas quando o resultado de seus atos vem à tona, a fuga se revela mais difícil do que imaginavam. Um thriller sobre as dificuldades da militância e do engajamento político em tempos conturbados. Do mesmo produtor de Frances Ha, o brasileiro Rodrigo Teixeira. Seleção oficial do Festival de Veneza e de Toronto 2013.



Breve Resenha:

Nebraska {Nebraska - ficção - Estados Unidos, 2013. Diretor: Alexander Payne}
Sinopse: Um homem idoso com problemas de memória foge sempre de casa para ir buscar um prêmio que ele pensa ter ganhado. Com a piora do seu estado mental, a internação parece ser a melhor opção para a família, mas um de seus filhos decide levá-lo ao destino desejado de carro, mesmo sabendo que é uma viagem inútil. No caminho, eles são forçados a parar na cidade natal do velho pai, onde ele reencontra seu passado, observado por seu filho. Do mesmo diretor de Os descendentes. Selecionado para a mostra competitiva e vencedor do prêmio de melhor ator no Festival de Cannes 2013.



Breve Resenha:

O Espírito de 45{The Spiret of ´45 - documentário - Reino Unido, 2013. Diretor: Ken Loach}
Sinopse: May, uma americana descendente de jordanos, é autora de um livro de sucesso e vive uma rotina refinada em Nova York. Em meio aos preparativos para seu casamento, a jovem parte para aproveitar um verão em família na Jordânia. Ao se deparar com a resistência de seus familiares em aceitar sua união e vivenciar o processo de divórcio de seus pais, May irá rever sua própria vida. Ao se apropriar do humor e de uma profunda afeição por seus personagens, a diretora, autora e protagonista Cherien Dabis conduz com leveza uma narrativa de forte senso de identidade cultural. Sundance 2013.



Breve Resenha:

Nós Somos Os Melhores{Vi är bäst - ficção - Suécia, 2013. Diretor: Lukas Moodysson}
Sinopse: 1982, Estocolmo, Suécia. Bobo, Kiara e Hedvig são garotas entre 12 e 13 anos que vagam pelas ruas da cidade. Corajosas, confusas e estranhas, elas têm que aprender muito cedo a tomar conta de si mesmas. Elas decidem começar uma banda punk sem ter nenhum instrumento, mesmo com todos dizendo que o estilo está morto. O filme marca a volta de Lukas Moodysson ao clima naturalista de seu primeiro grande sucesso, Amigas de colégio, depois de uma fase de filmes densos e experimentais como Para sempre Lilya. Inspirado em uma graphic novel da ilustradora Coco, esposa do diretor. Veneza 2013.



Breve Resenha:


E amanhã tem mais Festival do Rio, com você conferindo tudo aqui, na VISÃO.ARTE!
Continue com a gente nas redes sociais {segue aí!}, e monte sua programação através do site www.festivaldorio.com.br.

É a VISÃO.ARTE no Festival do Rio 2013.


Até a próxima,

O Tempo e o Vento estreia com sucesso no Rio Grande do Sul

23.
Setembro.
2013.

No dia 27 de setembro estreia em todo o Brasil o filme O Tempo E O Vento. Porém, homenageando o estado onde se passa e foi filmada a história, o longa está em exibição no Rio Grande do Sul desde o dia 20. E já é sucesso!



A superprodução, baseada na obra de Erico Verissimo, estreou em 43 cinemas e foi visto por 67.372 espectadores, obtendo uma média de mais de 1500 pessoas por sala. O longa, dirigido por Jayme Monjardim e produzido pela Nexus Cinema, de Rita Buzzar. A estreia antecipada aconteceu em função das comemorações da Revolução Farroupilha.



Ainda essa semana você confere aqui na VISÃO.ARTE o relato da Coletiva de Imprensa e resenha sobre O Tempo e o Vento.

Aguarde!!


imagens: reprodução.


Até a próxima,

Perfil

Meu nome é Lathife Cordeiro, tenho 28 anos, sou jornalista, assessora de imprensa, e apaixonada por arte e cultura. Moro no Rio de Janeiro, estou sempre em Paraty {RJ}, mas você pode me encontrar em qualquer lugar do mundo - principalmente no mundo virtual.

Espaço Visão.Arte

Uma revista eletrônica virtual atualizada com Informação, cultura, moda, beleza, dicas de passeios, entrevistas, e muita, muita arte. Sejam benvindos!

Nos Acompanhe!

  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • YouTube
  • Flickr
  • tumblr
  • fashionist
  • we heart it
  • RSS Seed

Arquivo

- Setembro +
1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30

Tags

Visão Arte - Fazer eco à arte é o trabalho da Visão.Arte.

Além de Assessoria de Imprensa, Agenciamento e Produção, criamos Sites e Blogs Oficiais para artistas interessados em ter suas páginas na Internet. Uma das nossas maiores intenções é aumentar a interação entre o artista e seus fãs, bem como divulgar seus trabalhos.

Clientes

  • Kesia
  • Jota Corts

Entre em contato e conheça nossos serviços!

Contato